Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Distúrbio da condução do ramo direito

O nó sinusal ou sinoatrial é o marcapasso natural do coração.Neste local inicia-se um impulso elétrico que flui sobre os átrios direito e esquerdo (câmaras cardíacas superiores), fazendo que estes se contraiam.O sangue imediatamente será deslocado para os ventrículos (câmaras cardíacas maiores e inferiores).Quando o impulso elétrico chega ao nó atrioventricular (estação intermediária do sistema elétrico), este impulso sofre um ligeiro retardo.
Em seguida, o impulso dissemina-se ao longo do feixe de His , o qual divide-se em ramo direito ( direcionado para o ventrículo direito) , e em ramo esquerdo (direcionado para o ventrículo esquerdo).Em seguida, o impulso atinge os ventrículos, fazendo com que estes se contraiam (sístole ventricular), permitindo a saída de sangue para fora do coração. O ventrículo esquerdo ejeta o sangue para o cérebro , músculos e outros orgãos do corpo humano.
O ventrículo direito ejeta o sangue exclusivamente para a circulação do pulmão , para que este sangue seja enriquecido com oxigênio.A perturbação ou distúrbio da condução do ramo direito é a interrupção parcial do impulso elétrico neste ponto do sistema de condução elétrica do coração, podendo ser de primeiro ou de segundo grau. A interrupção total do impulso elétrico é conhecida como bloqueio completo do ramo direito.
A perturbação da condução do ramo direito (também chamado de distúrbio da condução do ramo direito ou bloqueio incompleto do ramo direito) pode estar associado ou não a uma doença estrutural do coração (geralmente não está associada). Isoladamente esta alteração elétrica não costuma causar prejuízo ao funcionamento do coração, não impede a prática de exercícios físicos ou limita uma gestação.

Distúrbios da condução elétrica cardíaca ( bloqueios de ramo e hemibloqueios )

O coração é um orgão ativado por estímulos elétricos , sendo composto por quatro câmaras ( duas superiores , os átrios e , duas inferiores , os ventrículos ) , que funcionam como uma bomba propulsora de sangue .
Esta bomba bate cerca de 100 mil vezes por dia , devendo ser eficaz durante toda a nossa vida. As paredes musculares de cada câmara se contraem em uma seqüência precisa , impulsionando um volume máximo de sangue com o menor gasto possível de energia . A contração das fibras musculares do coração é controlada por uma descarga elétrica que avança através de vias elétricas distintas , em uma velocidade controlada.
A descarga elétrica que inicia cada batimento cardíaco , origina-se no marcapasso natural do coração , chamado de nó sinusal ou nó sinoatrial , situado na parede do átrio direito. A freqüência da descarga é influenciada pelos impulsos nervosos e pelos níveis de hormônios que circulam na corrente sangüínea.
O sistema nervoso autônomo ( SNA ) regula a freqüência cardíaca , através de seus dois componentes : o sistema nervoso simpático ( SNS ) e o parassimpático ( SNPS ). O SNS aumenta a freqüência cardíaca , enquanto o SNPS a diminui. O SNS supre o coração com uma rede de nervos, chamada de plexo simpático. O SNPS supre o coração através de um único nervo, chamado de nervo vago. A freqüência cardíaca aumenta sob a influência dos hormônios circulantes do SNS ( adrenalina e noradrenalina ).
O hormônio tireoidiano também influencia a freqüência cardíaca. Quando há excesso deste hormônio , a freqüência cardíacatorna-se muito elevada , no entanto , quando há deficiência do mesmo, o coração passa a bater muito lentamente. Geralmente, a freqüência cardíaca normal em repouso é de 50 a 100 batimentos por minuto. Entretanto, freqüências cardíacas mais baixas ( bradicardia sinusal ) podem ser normais em adultos jovens, particularmente entre aqueles que apresentam um bom condicionamento físico. Variações da freqüência cardíaca são normais durante as atividades do dia. Certos medicamentos e substâncias , como nicotina do cigarro e o álcool , também podem influenciar a freqüência cardíaca.
O sistema elétrico do coração :
O nó sinusal ou sinoatrial inicia um impulso elétrico que flui sobre os átrios direito e esquerdo ( câmaras cardíacas superiores ), fazendo que estes se contraiam. O sangue, imediatamente será deslocado para os ventrículos ( câmaras cardíacas maiores e inferiores ) .Quando o impulso elétrico chega ao nó atrioventricular ( estação intermediária do sistema elétrico ), este impulso sofre um ligeiro retardo.
Em seguida, o impulso dissemina-se ao longo do feixe de His , o qual divide-se em ramo direito ( direcionado para o ventrículo direito) , e em ramo esquerdo ( direcionado para o ventrículo esquerdo) . Este último é dividido em dois fascículos: o ântero-superior esquerdo e o póstero-inferior direito. Em seguida, o impulso atinge os ventrículos, fazendo com que estes se contraiam ( sístole ventricular ) , permitindo a saída de sangue para fora do coração.
O ventrículo esquerdo ejeta o sangue para o cérebro , músculos e outros orgãos do corpo humano . O ventrículo direito ejeta o sangue exclusivamente para a circulação do pulmão , para que este sangue seja enriquecido com oxigênio .
Distúrbios da condução elétrica do coração:
Nos distúrbios da condução elétrica do coração ocorre uma lentificação ou até uma interrupção da condução do estímulo elétrico ao nível dos feixes de His ( bloqueio de ramo esquerdo e bloqueio de ramo direito ) ou em suas ramificações ( bloqueio divisional ântero-superior esquerdo e o bloqueio divisional póstero-inferior esquerdo ). Estes últimos são chamados de hemibloqueios.
Isoladamente , os distúrbios da condução elétrica do coração não costumam ocasionar nenhum transtorno na força de contração do coração e, muitas vezes , ocorrem em pessoas sem evidências de doença cardíaca. No entanto , a presença de bloqueio do ramo esquerdo , costuma indicar uma cardiopatia , como a doença arterial coronariana ou as doenças do músculo cardíaco. O bloqueio do ramo direito pode ser encontrado em uma cardiopatia congênita , muitas vezes diagnosticada na vida adulta , chamada de comunicação interatrial.
O aparecimento de um bloqueio do ramo direito ou bloqueio do ramo esquerdo, após infarto do miocárdio , indica uma situação de maior gravidade , pois traduz uma lesão miocárdica mais extensa.
Os distúrbios da condução elétrica do coração podem se apresentar de uma forma associada , como por exemplo , bloqueio do ramo direito e bloqueio divisional ântero-superior esquerdo , achado típico da cardiopatia da doença de Chagas.
Algumas bloqueios de ramo , associados ou não , a alguma forma de bloqueio atrioventricular , podem causar um transtorno mais significativo do estímulo elétrico ao coração , levando a tonturas e desmaios. Estas situações , muitas vezes , necessitarão de um marcapasso artificial . Este também poderá ser útil em pacientes com bloqueio do ramo esquerdo e insuficiência cardíaca grave e resistente ao tratamento ( terapia de ressincronização cardíaca ).

15 comentários:

  1. Muito bom o teor do texto. Minha mãe desenvloveu este bloqueio ja fazem uns cinco anos, e nenhum cardiologista teve o cuidado de nos fornecer esta informação de maneira tão clara e objetiva.
    PARABÉNS!!!!!

    ResponderExcluir
  2. descobri atraves de ecg,esse disturbio de ramo direito,gostaria de saber se ha tratamentos medicamentosos neste caso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antônio, eu tenho 55 anos de idade e só recentemente a cardiologista diagnosticou esse tal distúrbio no ramo direito, no entanto, para minha felicidade, afirmou a Especialista que na minha condição e de todas as pessoas na mesma situação alimentação adequada visando o controle correto do peso e exercícios regulares e compatíveis com o problema, ou seja, com avaliações periódicas. Um abraço e DEUS nos ajudem.

      Excluir
  3. Bom dia meu nome é Inglis, tenho uma filha de 7 anos Luana, em abril ela adoeceu foi para a emergência e a médica pediu que levasse ao pediatra pq parecia que ela tinha uma sopro no coração. Recentemente foi feito um eletrocardiograma e atestou DISTÚRBIO DE CONDUÇÃO DO RAMO DIREITO.Preciso agora de um cardiologista para analisar direito isso. Estou com medo minha minha é tão pequena cheia de vida, perdi minha primeira filha e não quero perder Luana ela é meu tesouro. Será que isso tem cura?

    ResponderExcluir
  4. ola , por favor onde no ecg, qual onda encontro o DCRD
    obrigado elisete tec enfermagem

    ResponderExcluir
  5. Putz! Tudo copiado de outros sites, e o pior, sem citar a fonte. João Paulo, vc é um plagiador. Escreva os textos vc mesmo, se quer ter um blog. Copiar e ficar com os créditos, qualquer um consegue.

    ResponderExcluir
  6. como e tratamento se demora muito tempo para surtir efeito e se tem em qual quer lugar

    ResponderExcluir
  7. disturbio da conduçao do ramo direito eo que,oque causa,e grave tem cura,por favor me responda quem souber

    ResponderExcluir
  8. olá tenho 39 anos e aos 35, me implantaram uma 'radial' e uma 'mamária' após infarto, caso raro pois não era viciado em nada e não obeso. Os médicos acharam raríssimo, única explicação; hereditariedade, minha mãe teve AVC aos 62 e morreu aos 68 (infarto).
    Fiz um ecg e lá acusava isto: distúrbio na condução pelo ramo direito... por favor como será agora isso para mim???

    ResponderExcluir
  9. Li uma pesquisa sobre azeite de oliva, muito bom pra "limpar" o sistema circulatório. Oléo de peixe também é muito importante para a saúde do coração.Escreva para o meu email que sito a fonte(pesquisa) do óleo de peixe.Do azeite foi em site indicando uma universidade, mas não tive acesso aos artigos.
    Controlar a ingestão de gorduras saturadas também é útil.
    daniel.cgb@gmail.com

    ResponderExcluir
  10. Disturbio de condução do ramo direito também pode aparecer em pessoas de coração normal...conversse com seu médico.

    ResponderExcluir
  11. a cura para esse desturbio

    ResponderExcluir
  12. Calma gente ninguém vai ter um infarto por causa deste distúrbio ,é só fazer exames cardiogramicos de 6 a 6 meses para ver se evolui ou não o problema,e é claro que um medico especialista é o indicado para abrir o exame e dar o laudo.

    ResponderExcluir
  13. Eu morri por causa disso.

    ResponderExcluir